Quero escrever com as mãos no bolso

Tenho vontade de tirar o gosto de cigarro da boca não querendo escovar os dentes ou comer cebola. Estou sentindo vontade de morrer sem deixar de viver. E você, para combinar comigo, deveria ter compaixão me amando; mas eu tenho vontade de não ter vontade sem sorver meu ânimo.

15 comentários:

Ni disse...

O querer é irmão do não-querer, e a gente é o avesso mesmo dos contrários. Quem disse que escrita é só com as mãos? Pode ser com os olhos, também.
E esse gosto da boca pode ser retirado com a língua, ou a chuva que um dia chega. Cigarro lavado e alma limpinha, sem avesso de querer nenhum.

Até porque, bem-querer é meio irmão do ânimo - e amor, ah... Amor a gente consegue sendo. E a Rebecca é, mais ainda, sem usar de perfeição.

FMAN disse...

belas imagens. traduziu bem esta sensação de prostração perante a vida que ás vezes nos acomete. gostei!
bjo

nathália disse...

eu nunca poderia comentar esse texto com palavras como a Nina consegue...

então só digo que tá perfeito, e te mando mil sorrisos-poulains mineiros, se ajudar o gosto ficar de chocolate.

Assionara Souza disse...

pelado, pelado,
nu com a mão no bolso!


ultraje a rigor

kleine kaugummi disse...

Penso diferente da Nina,
sabe ?

Acho mesmo que o querer e o não-querer são inimigos, íntimos.
Dos que sabem detalhes um do outro, mas odeiam-se.
Poderiam ser parentes (pq todo mundo tem um primo chato).
Primos então.

Como o cigarro e a cebola, primos-irmãos.

=*

Camila B. disse...

Faz um tempinho que eu resolvi que ia melhorar muito minha vida se minha vontade de fumar voltasse. Combina comigo, sabe, combina com gente sozinha essa coisa de cigarro... Mas a maldita vontade não vem. Aí eu fico aqui, amarga desse jeito, sem querer nada, nem querer nada.

FMAN disse...

poste mais !

Clara Mazini disse...

Nossas vontades, sempre tão verdadeiras quanto traidoras. Ai de nós enquanto apenas humanas, não é mesmo?
Tanta vontade nela escrita...

André Gurjão disse...

Ah, e por quê parou de escrever?! Descobri ao acaso este teu texto e gostei do título do Blog, do ritmo do texto...

Não há muitas pessoas que falem com palavras nos blogs, a maioria fala com os olhos - e daí o fascínio que se tem com os blogs: os textos são imagens passadas como o liberar das folhas de caderno, as imagens que se inclui só contribuem para o resto.

Fico aqui, anonimamente, torcendo que volte.

Ju disse...

muito bom!

lembrei de um trecho de uma música: "não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora"

gostei das imagens... muito bem usadas...

bjin

Ni disse...

Tenho saudade das coisas que tu escrevia por aqui. :*

E.R.L. disse...

vc largô o osso?

Anônimo disse...

penso, logo, moria.

Anônimo disse...

ué, cadê? (haha)

Mariana Varela disse...

acho que vc pode tirar as mãos do bolso já[!] e voltar com esse blog.
esse texto é incrivelmente bom...